Seguidores

07/03/2010

Quando ela fecha os olhos,
O céu multiplica o infinito e
Ela sente o além da flor.
Mãos descendo,
Beijos fluindo, ~
Ela sumindo,
Virando mar,
Gotas de desejo.
O amor arrastando
Seu corpo e suas mãos
Para as estrelas,
para
Um caledoscópio de
Cores e matizes.
Ela sente...apenas
Sente os olhos felizes.
Um alvoroço de passarinhos,
Revoada de prazer, asas
Abertas ao entardecer.
Aquela entrega de amante,
Os sonhos tão perto,
O peito aberto e distante.
De repente, ela se perde,
Às cegas,
brincadeira no
Escuro.
Nada pode ver
Salvo o que a faz transbordar
Para além dos limites do ser.
E ela vai, é brinquedo, é som
E sussurro, é suspiro e sabor,
É o próprio esplendor.
Por entre as dobras dos espelhos,
Seios e joelhos, peles e poros,
Bocas a procura do tempo.
Por Entre os vãos dos sentimentos,
Apenas ela e o seu sublime
Momento...
Gotas de desejo,
Gotas de amor por entre pernas
E mãos, por entre seus beijos de flor.






3 comentários:

Nanda Assis disse...

texto poderoso. amei.

bjosss...

T I N I N disse...

Lindo Blog!
Fiquei encantada, de verdade!
Parabéns!
BEIJO
T I N I N

Gnosis disse...

acho que me vou perder por aqui...

beijo